Tecnologia do Blogger.
RSS

Memories - PARTE 6

PARTE 1: http://ashistoriasaleatorias.blogspot.com.br/2013/09/memories.html
PARTE 2: http://ashistoriasaleatorias.blogspot.com.br/2013/09/memories-parte-2.html
PARTE 3: http://ashistoriasaleatorias.blogspot.com.br/2013/09/memories-parte-3.html
PARTE 4: http://ashistoriasaleatorias.blogspot.com.br/2013/09/memories-parte-4.html
PARTE 5: http://ashistoriasaleatorias.blogspot.com.br/2013/09/memories-parte-5.html

      Harry já estava cansado de nada fazer, de suas dúvidas ficarem apenas em sua mente, e isso já estava o sufocando. Decidido a esclarecer os fatos encontrados no diário de sua amada, ele resolveu ir atrás de Sophia.
Harry foi descer a escada e deixou o diário cair no chão, a página que se abriu foi justo a do dia em que eles
comemorariam 2 anos de namoro, que seria amanhã, e sua amada já havia escrito "sei que de qualquer forma e em qualquer lugar hoje o dia será perfeito".
       Aquela pequena e forte frase fez Harry se entristecer mais ainda, e seu ódio aumentava a cada segundo que se passava. Ele então resolveu pedir a alguns amigos da faculdade o endereço de Sophia, ele estava realmente decidido a esclarecer tudo, porém ninguém tinha endereço de Sophia, e isso já estava soando para Harry que se ela queria se esconder é porque de algo ela fugia.
       Sua mente já estava confusa e sua raiva tomava conta do seu corpo, o silêncio já havia se tornado seu amigo. Harry não vivia mais para si, ele vivia se baseando na sua vingança e sentia como se devesse isso a Emma,como se fosse sua obrigação. Mas, no fundo ele também sabia que ela sempre foi uma pessoa doce, amiga, e que ela só iria querer que ele ficasse bem, que deixasse isso para os policiais cuidarem, pois ela só iria querer o seu bem. Seu silêncio foi interrompido por sua mãe, que há dias já estava preocupada com seu comportamento frio e agressivo com o mundo. 
       Decidida a ajudar seu filho, dona Victorya tinha medo que seu filho entrasse em depressão, assim o chamou para viajar para a casa de praia que eles tinham em Lamber, desse modo Harry poderia descansar e se afastar da cidade que o fazia lembrar a todo momento de Emma. Para a surpresa de Victorya, ele aceitou, sem contestar nada, e ainda disse que queria ir logo pela manhã do dia seguinte. Harry, na verdade só queria ir para lá pra poder encaixar todos os pedaços da história, pois ele queria que quando voltasse para sua cidade, tivesse tudo para incriminar de vez o assassino do seu amor.
         Harry e seus pais partiram logo pela manhã, e na estrada ele já pensava no dia que hoje representava, ele faria 2 anos com Emma, que para ele eram os dois anos mais felizes da vida dele. Lágrimas começaram a deslizar sobre seu rosto ao lembrar dos lugares e do que eles faziam juntos quando comemoravam mais um mês de namoro, para ele seriam comemorados anos e mais anos e era isso que mais o machucava, ele não queria de modo nenhum aceitar que sua vida agora seria sem aquela pequena menina loira, com sorriso que a quilômetros qualquer um conseguia enxergar, simpática e amorosa, que ele tanto amava.
         Ao chegar em sua casa de praia, ele relembrou a primeira vez que levou Emma lá, que eles até discutiram por bobeira e ele pensou que não deveria ter perdido minutos com ela brigando e sim fazendo ela sorrir, mas suas brigas eram muito raras, e ele sabia, tinha a certeza, que o tempo em que ele esteve com ela, ele a fez muito feliz.
        Sua mãe o vendo parado em frente a casa, respirou fundo e com um sorriso mostrou ao filho como a árvore que ele e Emma haviam plantado no jardim já estava grande, foi então que Harry depois de muito tempo sorriu, um sorriso sincero porém pequeno, lembrando da cena dele e sua amada plantando a árvore e dela dizendo que era o primeiro fruto do amor deles. Mal eles sabiam que era o primeiro e o último fruto daquele amor.


AUTOR: Yam Mello

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário