Tecnologia do Blogger.
RSS

Sangue - Parte 3

PARTE 1: http://ashistoriasaleatorias.blogspot.com.br/2013/09/sangue.html
PARTE 2: http://ashistoriasaleatorias.blogspot.com.br/2013/09/sangue-parte-2.html


    Durante alguns dias após a noite do baile, foram feitas investigações para que pudesse descobrir o assassino, ou, de acordo com o pensamento dos policiais, os assassinos. Murilo foi um dos principais suspeitos, devido a ser a única pessoa que foi ao Baile que não foi assassinada. Ninguém entendeu o que havia acontecido, como que uma pessoa tão bonita e simpática poderia cometer uma crueldade dessas? Então Murilo foi para a cadeia até que provasse que era inocente.
     Essa matança foi parar em manchetes nos jornais e era o mais comentado nas rádios. Com toda essa repercussão, o Padre Liam, o mais experiente dos Padres da cidade, foi até a casa da família Andrade para conversar com Maria e Carlos sobre suas experiências. Padre Liam contava que em 1876, aos seus 32 anos, teve de fazer um exorcismo em uma menina e seu pai, devido a eles estarem endemoniados, pois os demônios Acheropita e Apurinã possuíam sempre dois parentes, de acordo com o que Padre havia vivênciado. Um sempre matava as pessoas com um machado enferrujado e o outro torturava fisicamente seu companheiro por de baixo das roupas para que ninguém visse, e se ele tentasse contar para alguém, mataria quem ele amasse. Contada a história, o Padre Liam perguntou a Carlos e Maria se eles haviam notado algum comportamento estranho com algum familiar, ou até com eles mesmos, se entreolharam e ambos disseram que não. Desconfiado, Padre se retira da casa.
      Também com as notícias rolando, Guilherme, o único irmão de Carlos, que toda semana o ligava para dar e receber notícias, aparece em sua casa pra ver como estava. Com Murilo na prisão, Carlos deixou que Guilherme dormisse no seu quarto. Todos dormem. No dia seguinte, aproveitando que Maria saíra para pagar as contas, os irmãos conversam e Carlos se sente seguro para contar a verdade somente ao irmão. Ele conta sobre a conversa que tivera com Padre há dois dias, e diz que Maria estava possuída e que ela que havia matado Antônio, pois ele no dia da morte de seu filho havia tentado contar para o Padre sobre as torturas que ela fazia, mas não tinha coragem para tentar contar novamente, então pede que ele conte. No seu caminho até a Igreja, Guilherme sofre um atentado, é atacado por Maria.
      Carlos então percebe que mesmo pedindo a outro que contasse ao Padre, Maria mataria alguém que ele amasse. Decide então não afrontar Maria e fingir que está tudo bem para poder, no sigilo, contar o que acontecia ao Padre. Só assim poderia então fazer o chamado exorcismo, no Murilo e em Maria.


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário